Somos um país de jumentos?

Somos um país de jumentos?

O segredo é sacudir! A máxima popular “sacudir a poeira e dar a volta por cima.” nunca fez tanto sentido como nos últimos tempos.

Você se lembra da estória do jumento que caiu num poço?

Bem, não é preciso ser um jumentologista para saber que o animal não conseguiria sair de lá sozinho. Então, o fazendeiro dono do animal depois de avaliar a situação chegou a duas conclusões – primeiro, que o poço precisava mesmo ser fechado e, segundo – que o animal estava velho e não valia a pena resgatá-lo… Enfim, o resto da história você já sabe.

O segredo é sacudir! A máxima popular “sacudir a poeira e dar a volta por cima.” nunca fez tanto sentido como nos últimos tempos. Tempos de multiplicar pães, transformar água e fazer milagres diários com o pouco que se tem.

Além desse esforço todo para administrar os problemas econômicos, é preciso muita habilidade para manter a cabeça no lugar e não pirar. Eu já pirei. Foi só uma vez, acredite, não vale a pena. Mas, pensando bem, todos já piramos algum dia e estamos pirando agora.

Agosto, setembro, outubro e novembro, são os meses em que novos empreendimentos acontecem, ou pelo menos, sempre aconteciam. A questão é que existe medo no ar. Risco. Uma sensação de desesperança, no país da esperança.

Mas voltando ao jumento, sacudir a poeira foi a segunda opção, afinal a primeira seria ficar parado e ser enterrado vivo, não é era? Sempre temos opções. Há uma mágica nesta simples expressão: Eu vou fazer algo!

Admitir que é capaz de empregar movimento em sua vida, que apesar de difícil e complicada uma situação você ainda pode fazer algo. Uma coisa tão simples, ao mesmo tempo, tão complicada. Mas possível, não é?

Um dos segredos da vida é amar o que se faz. Não adianta nada você querer continuar sendo enfermeira se tem impaciência com os pacientes, ser líder e não respeitar opiniões, ou querer ser motorista se não se entende bem com o câmbio, ou ainda ser professor e não tem empatia pelos alunos.

O jumento nos ensina que os problemas, sempre estarão a nos sufocar, que as decisões de outros podem nos prejudicar, mas cabe a nós, com amor e com a cabeça no lugar, superar o que estiver ao nosso alcance. Pense nisso!

Não se lembra da história do Jumento?

Um dia, o jumento caiu num poço. O animal relinchou penosamente por horas, enquanto o fazendeiro pensava o que fazer. Por fim, o fazendeiro chegou à conclusão de que o poço precisava mesmo ser fechado e, como o animal estava velho, não valia a pena resgatá-lo. O fazendeiro convidou seus vizinhos para ajudá-lo. Todos pegaram pás e começaram a jogar terra dentro do poço. O objetivo era enterrar o animal vivo. No início, percebendo o que acontecia, o jumento relinchava, desesperado. Depois, para surpresa geral, aquietou-se. Algumas pás de terra depois, o fazendeiro resolveu olhar para baixo e ficou surpreso com o que viu. O jumento sacudia cada pá de terra que caía sobre ele, e aproveitava a terra para subir um pouco mais. Enquanto os vizinhos do fazendeiro continuavam a jogar terra no animal, ele a sacudia e subia cada vez mais. Não demorou para todos se espantarem ao ver o jumento escapar do poço e sair trotando alegremente.


Fonte: Artigos Administradores / Somos um país de jumentos?

Os comentários estão fechados.