Sorte de Kokura

Sorte de Kokura

Nosso dia a dia nem sempre é como planejamos ou como queremos que seja. Por vezes ele se mostra como aquele dia nublado e triste. Como dar um novo significado a isso?

Um amigo publicou algo no Facebook na semana passada que eu não sabia. De acordo com ele, no Japão há uma cidade chamada Kokura e que é bastante emblemática para os japoneses, inclusive por conta de sua história. Fui pesquisar e descobri que essa era uma das principais cidades japonesas à época das guerras mundiais! Essa cidade, Kokura, ficou conhecida no Japão devido a um episódio sobre o qual poucos ouviram falar aqui no Brasil, estranhamente, pois deveria fazer parte das aulas na escola! Ela foi um dos alvos nos ataques aéreos ao Japão durante a Segunda Guerra Mundial por duas vezes, justamente porque era importante. Primeiro foi alvo secundário e depois o principal, mas em nenhuma das oportunidades de bombardeio foi atingida! É muito interessante o motivo pelo qual isso não aconteceu.

Durante a guerra muitas vezes o céu de Kokura amanheceu nublado, o que não é muito significativo em condições normais, pois muitas cidades no mundo têm essa característica, lembremos de São Paulo, por exemplo. Então muitas cidades amanhecem assim dubladas, com aquelas nuvens de cor cinza, por vezes pesadas, outras não (até parecem um floco de algodão). Quando os ataques foram planejados Kokura estava na lista para ser bombardeada, mas não foi. Aquele céu cinza, nublado, não permitia a visibilidade dos aviões de ataque para poder lançar a bomba. Pois então, sorte de Kokura!  É assim que muitos japoneses se referem ao que podemos ter dos dias nublados em nossa vida! Algo que poderia ser ruim num primeiro momento, poderia ter sido ainda muito pior se o “ruim” não tivesse acontecido! Em minhas pesquisas percebi que há um certo cuidado ao se usar o ditado. Parece que ele é  aceito para ser usado apenas pelos próprios japoneses, pois ao ser usado por pessoas que não são da mesma cultura, da mesma realidade, eles parecem sentir uma certa ofensa ou ironia.

E o que isso tem a ver conosco? Certamente você já viveu aqueles dias em que, independentes do sol ou das nuvens lá fora, para você pareciam dublados. Aqueles dias em que parece que nada te ilumina, as coisas dão errado e você se irrita facilmente. Os desafios são enormes, as coisas que eram para acontecer de uma determinada forma acontecem de outra, enfim, aqueles dias em que você torce para que acabem logo. Um exemplo disso é daquela pessoa que reclama de ter que sair de casa para ir trabalhar, mas quando pensa que não gosta de seu trabalho imediatamente entende que terá um dia infeliz e difícil, mas se olhar como oportunidade de provar o seu valor e de adquirir experiências para o futuro, vai trazer um cenário totalmente diferente para si! Provavelmente o dia continuará nublado lá fora, mas você estará se preparando para novos desafios! Bom isso, não é? Bem, você tem duas opções: ou você olha para esse dia e aproveita o fato de ele estar nublado para aprender mais sobre você e sobre os outros e aprender com a experiência ou você irá transformá-lo em um problema para você mesmo!  É isso que você quer? Transformar o seu dia em um problema? Os sábios japoneses perceberam logo o que seria a sorte de Kokura! Um dia nublado pode ser maravilhoso, ele pode ser exatamente o dia mais importante da sua vida! Um dia nublado pode trazer tanto benefício que talvez você não consiga nem imaginar o tamanho dele!

Martin Seligman, em seu livro Felicidade Autêntica, já fala sobre isso, sobre o otimismo. Ele é um dos fatores que que aumentam nossa resistência àquela depressão que se segue aos fatos ruins e desagradáveis pelos quais passamos na vida e também melhora o nosso desempenho profissional e a saúde física. Quando o pensamento ruim ligado ao fato desagradável, como por exemplo o nosso céu nublado, chegar até você, avalie sob 4 aspectos. Primeiro pense em quais evidências você tem de que um dia nublado (ou aquele pensamento negativo) traz coisas ruins; depois, considere quais alternativas você tem em relação a isso, pois as coisas não têm uma única causa; em terceiro lugar, avalie as implicações, considerando se isso é permanente, como se questionando se o sol nunca mais irá brilhar e finalmente, em quarto lugar, pense como você pode mudar isso e se chegar à conclusão de que não tem controle sobre o fato, simplesmente o encare e sinta como que possa passar!

Pense nisso: antes de esbravejar, de reclamar da sorte, de se sentir preterido, de pensar que essas coisas só acontecem com você, lembre-se de Kokura! O sol não brilhou em Kokura em nenhum dos dois dias de ataques aéreos, em compensação, Hiroshima e Nagasaki tinham um sol brilhante… Você já parou para pensar o quanto o céu nublado foi importante para esta cidade, que já acordou cinza? Faça uma escolha consciente de como seu dia deve ser! Você não precisa aceitar que um dia cinzento seja o fim dos tempos, que seja um dia ruim! Você não precisa pensar que uma segunda-feira é cinza e sem graça porque você vai para o trabalho como se estivesse indo para um castigo. Lamentar um dia cinzento não ajuda em nada. Só piora o nosso dia, tornando-o feio e desagradável. Se fizermos do dia cinza um motivo para colorir nossa vida, teremos conquistado mais um dia de boas realizações e a inspiração de volta! Você não precisa partir do princípio de que não tem jeito: aquele dia é o fim!  Não! Aquele dia é o começo de um novo pensar e de uma nova aprendizagem! A sua vida pode ser cheia de significados, mas você precisa olhar para eles, trazer cor para o seu dia cinza e ser o sol que vai iluminar esse dia! Seja cada dia mais feliz!

Que tal encarar um dia cinzento estando cheio de sol dentro de você?


Fonte: Artigos Administradores / Sorte de Kokura

Os comentários estão fechados.