Temos que nos conformar?

Temos que nos conformar?

Preferia ouvir o canto dos pássaros às manchetes do dia. Sentir o cheiro do café é muito melhor que o odor fétido das nossas usuais práticas políticas

Sou muito mais diurno que noturno. Acordo normalmente às 5:30h na pretensão de caminhar pelas praças do bairro. Mas confesso que ultimamente ando meio preguiçoso e o que me seduz de verdade é fazer o café, servi-lo fartamente numa velha caneca de ágata e sentar-me no quintal, sob as árvores, para ver o dia, geralmente multicolorido nesta época do ano, ir aos poucos surgindo.

São apenas 30 minutos, mas sinto que bem vividos. A passarinhada indócil, o sol acordando o céu, aquele frescor típico do alvorecer e, pasmem, eventualmente araras e papagaios ajudando a tecer a manhã. É bom viver próximo ao pantanal. Já tentei ler, ouvir música, de alguma forma ser “produtivo” neste momento lúdico. Desisti. O que me fascina é olhar em volta, para cima, refinar os sentidos e receber a energia da manhã.

O cheiro, a luz, o som e o paladar do café coado complementando a obra de Deus. Não há como não começar bem o dia assim. Comunhão total com a Natureza e comigo.

Tomo um banho, me arrumo e sento para comer uma fruta ou tapioca. Às vezes a TV está ligada no jornal matutino e é impossível não prestar atenção às notícias deste nosso tão maltratado Brasil. Nestas horas geralmente quero voltar no tempo. Não séculos ou décadas, bastam alguns minutos. Preferia ouvir o canto dos pássaros às manchetes do dia. Sentir o cheiro do café é muito melhor que o odor fétido das nossas usuais práticas políticas.

Então desligo a TV, mas, nesta hora, o mal já está feito. É a vida real. Ou não.


Fonte: Artigos Administradores / Temos que nos conformar?

Os comentários estão fechados.