Tempo exponencial em compartilhar

Tempo exponencial em compartilhar

Estamos na ditadura do compartilhamento. Vale refletir sobre?

Não importa a fonte, tampouco a veracidade da informação, o que vale é compartilhar. Compartilhar por prazer e ás vezes por sadismo. Vale compartilhar pensamentos rasos, vazios e replicar num ato pujante a desinformação. Também vale replicar a hipocrisia – e por que não?

Compartilhar os momentos alheios, seja de felicidade, seja de tristeza, seja para banalizar alguém, seja para simplesmente promover e replicar exponencialmente o cyber bulling. Compartilhamos tudo a todo momento, sem dosimetria, para parecermos cool, globalizados, atualizados e, talvez passamos muitas vezes por intelectualoides de botequim nesse ato obsessivo compulsivo.

Compartilhar o que muitas vezes nem sequer entendemos.

Compartilhar pelo simples fato de ter a esperança de ganhar algumas “curtidas” e comentários.

Talvez o compartilhar venha realmente acompanhado da necessidade em ser aceito e reconhecido. Uma necessidade de mimo e pouca autossuficiência. Tal necessidade que se Maslow estivesse vivo, colocaria no topo da pirâmide: necessidade em ser aceito virtualmente.

Nessa ditadura do compartilhamento onde não há espontaneidade, somos o lacaio de nossa própria vaidade e nosso mimo exacerbado. É o princípio do abismo da falta de reflexão, da falta de capacidade em criar uma linha de raciocínio lógico e da falta de visitar o interior de si.

Nessa era onde atuamos como papagaio digitais, acabamos subvertendo grandes virtudes que nos foram oferecidas sem ônus. Nessa era, nem sempre a virtude do bom senso é bem praticada. Se compararmos nosso meio digital necrópole quotidiano, dá para crer que eram bem inofensivos os antigos jornais impressos que se torcidos, escorriam sangue. Se antes valia o Ibope, hoje mais vale a taxa de engajamento e o “custo por mil” rentável.

Obviamente temos o compartilhar consciente, do pedacinho da história que é criada, do momento único e exclusivo, do amor, da saudade e do relevante. Do pedaço doce e também do amargo. Da vitória e da derrota que carrega um aprendizado. Do compartilhar onde a fonte é do criador consciente para o compartilhador cônscio.

Publicado originalmente em https://www.linkedin.com/pulse/tempo-exponencial-em-compartilhar-adriano-meirinho


Fonte: Artigos Administradores / Tempo exponencial em compartilhar

Os comentários estão fechados.