The book is on the table. Mas, ainda?

The book is on the table. Mas, ainda?

Quem não cantarolou ao menos uma música em inglês, que você gosta tanto, mas não entende – nem pronuncia nada? Ser fluente em inglês é o projeto de 99,99% dos profissionais que sonham com uma carreira de sucesso. Mas por que é tão difícil?

Aposto que ao menos em um curso de inglês você se inscreveu, alguma vez na vida: Muitos, o fizeram por mais de uma vez. Você se empolgou, pagou pelo material didático, foi às aulas com esmero, fez as esquisitas lições, até passou para o próximo módulo (ou nível) mas…. na hora H, você só consegue dizer: “Sorry” ou “slowly please”.

Então você, investindo tempo e dinheiro (sem contar as esperanças) fica sempre frustrado, e achando que o problema é você.

O grande equívoco de muitos métodos está em priorizar o “book is on the table”, levando cada aluno a experimentar as mais pitorescas situações, completamente longe de sua realidade e dia-a-dia. 

Estudar inglês com eficácia, está em naturalmente levar o inglês para sua vida, rotina e realidade. E não o contrário. Algumas dicas:

  1. Recuse o “book is on the table”. Traga o inglês para sua vida cotidiana.
  2. Abandone o “decoreba”. Embarque no idioma.
  3. Não se afobe durante uma primeira conversa em inglês. Respire e relaxe!
  4. Não traduza cada palavra. Apegue-se ao sentido e ao som das frases.
  5. Esqueça o medo e a vergonha de errar. Mostre ao seu interlocutor sua disposição em se comunicar com ele.
  6. Pare de cantar qualquer coisa! Ouça suas músicas favoritas em inglês várias vezes, alterando à leitura de uma ou mais traduções e versões enquanto você as ouve.

Lembre-se: você não é um papagaio. Você é um comunicador. 


Fonte: Artigos Administradores / The book is on the table. Mas, ainda?

Os comentários estão fechados.