Um influencer para chamar de seu

Um influencer para chamar de seu

Blogueiros, Youtubers, Instagramers, colunistas… se tornaram influenciadores importantes porque são vistos como autênticos e têm muitos seguidores leais

O Digital chegou para mudar completamente as estruturas, os padrões, as lógicas dos modelos de negócio. Estamos vendo grandes mídias tradicionais debatendo para se adequar a esse cenário em que notícias se tornaram gratuitas e blogs viraram fontes alternativa de informação.

Estamos vendo agências que antes pensavam apenas em publicidades em outdoor, impressos e televisão, migrar para modelos de publicidade digitais. Estamos vendo o telão da TV da sala ser trocado pela telinha do celular. Estamos vendo as redes sociais empoderar, dar voz, ao cidadão comum.

Nesse mundo de mudanças, muitas pessoas se tornaram céticas às publicidades. Há, sem dúvida, um senso crítico muito maior, o que torna cada vez mais difícil confiar em qualquer reivindicação comercial, principalmente, em território online, essa “terra do povo” e não das empresas.

Entretanto, esse ceticismo tende a diminuir quando recomendações de produtos ou serviços vêm de amigos, conhecidos ou familiares. É o que mostra a análise realizada em 2015 do Trust Barometer, em que 84% dos entrevistados confiam em pessoas comuns, ultrapassando, inclusive, o prestígio de especialistas acadêmicos e representantes de organizações.

É aí que surge a figura dos influencers, ou influenciadores, como queira.

O fato é que, se antes o “poder da imagem para vender” era exclusivo das grandes celebridades, dos cantores, daqueles que apareciam na mídia, com o Digital e suas ferramentas, qualquer pessoa tem a possibilidade de desenvolver sua reputação, sua popularidade e influenciar o mercado de acordo com sua experiência e área de atuação.

Blogueiros, Youtubers, Instagramers, colunistas… se tornaram influenciadores importantes porque são vistos como autênticos e têm muitos seguidores leais. Quando algum deles (com real poder de influência) recomenda um produto, a tendência é que pareça mais confiável do que uma publicidade tradicional.

E as empresas, claro, já perceberam que podem usar esse poder para influenciar seus clientes, incentivando os influencers (de forma orgânica ou paga) a falar e recomendar seus produtos no mundo virtual.

E se engana quem pensa que sua empresa precisa mirar nas “Pugliesis” e “Kéferas” da vida, ou seja, nas web celebrities. O grande segredo aqui é saber identificar e investir (no relacionamento ou no dinheiro mesmo) em influenciadores que atuem de forma específica, dentro do nicho da sua empresa, do produto ou serviço.

Aliás, essa é mais uma daquelas enormes mudança do Digital: nem sempre o mais visto é mais vendido. Grandes quantidade de curtidas e likes nem sempre significa conversão em vendas. Por isso, encontrar influencers dentro do seu nicho pode ser muito mais eficiente e, também, mais barato.

Quer exemplos? Um restaurante local pode identificar perfis no Instagram que deem dicas de alimentação, avaliações de locais para comer, para ser seu influencer. Lojas de moda e acessório podem identificar blogueiras locais para publicar fotos e dar dicas de tendência usando seus produtos. As possibilidades de encontrar um influencer para chamar de seu vai depende da sua criatividade.

Para concluir, deixo duas dicas importantes para o seu negócio! Primeiro, descubra se o influencer que você escolher tem realmente poder de influência sobre seus seguidores. Analise as interações, o engajamento e a reputação dessa pessoa.

Segundo, lembre-se que quando mais autêntica for sua história e o relacionamento da sua marca com o influencer, mais credível será para o seu negócios, para o marketing e para as vendas.


Fonte: Artigos Administradores / Um influencer para chamar de seu

Os comentários estão fechados.