Uma praga chamada desculpa

Uma praga chamada desculpa

É melhor ficar vermelho agora do que amarelo a vida toda.

Vivemos um dos momentos mais delicados da história empresarial e a economia do pais não dá sinais de melhora no curto/médio prazo. Empresas enfrentam verdadeiras guerras diárias para tentar se adequar a esta realidade e muitas já desistiram. Credito difícil, mercado retraído, dólar nas alturas, desemprego e principalmente a falta de um horizonte claro e definido vem transformando negócios em pesadelos.

Também é verdade que muitas empresas já viviam uma crise particular com processos lentos, mão de obra pouco qualificada, sem planejamento, sem uma estrutura sólida que sustentasse a operação mas, com a bonança não davam a devida importância a estes fatores e agora sentem mais efetivamente o momento que passamos.

Tenho orientado nossos clientes a olhar para dentro do negócio e fazer o que deve ser feito sem esquecer que também vivemos um excelente momento para ganhar mercado. Resumindo, este é um período de muito trabalho para aqueles que acreditam no seu potencial e não vivem apenas na esperança de dias melhores. O problema é que para muitos existe uma ferramenta perigosa e muitas vezes fatal, a desculpa. É caro, já fizemos isso, já começamos aquilo, vamos fazer, não é nossa realidade, eu sei, eu faço, você não conhece o nosso negócio, vamos treinar, vamos qualificar, são algumas das desculpas que já ouvimos e que em pouco tempo viraram fumaça.

Entendo que existem 3 passos que devem ser dados com a maior urgência possível:

1º Passo: Descobrir o cenário atual e real do negócio: deixe o orgulho de lado e olhe atentamente para toda a operação. Identifique em detalhes os pontos fortes e os que necessitam evoluir. Não caia na armadilha de tentar implantar modelos prontos de outras empresas. O que deu certo lá, pode não dar certo na sua empresa e quando você descobrir isso já perdeu tempo, dinheiro e terá que começar tudo novamente. Faça isso, mas deixe o coração lá fora.  Muitos empresários tem orgulho do que construíram e cultivam uma visão complacente com erros e pontos negativos.

2º Passo: Cuide dos seus funcionários: em qualquer época quem vai fazer a diferença serão pessoas. Portanto, avalie com critério, descubra talentos (não apenas esforçados), invista em treinamento, não acredite apenas em currículos ou boas intenções, avalie o resultado de cada um, contrate os melhores (não venha com a desculpa de que é caro), tenha líderes de verdade, não seja bonzinho, seja justo.

3º Passo: Alinhe seus processos: Tudo tem um começo, o meio e o fim. Na sua empresa não é diferente. Muitos ainda cometem o erro de cuidar de cada etapa separadamente o que atrasa todo o processo que muitas vezes precisam ser reiniciados. Para alinhar processos é preciso que haja um trabalho continuo contemplando cada etapa, alinhando e dando agilidade e segurança, além de resultados consistentes.

É importante sempre ter em mente que cada passo deve ter como consequência a lucratividade, rentabilidade e a geração de caixa. Não adianta ter processos alinhados que gerem prejuízo. O foco tem que ser a geração de caixa e a pergunta a ser respondida é: quanto podemos ganhar com este processo alinhado?

Sucesso só vem antes de trabalho no dicionário. Deixe as desculpas, o orgulho e a vaidade de lado e haja agora. Não espere o tão falado “melhor momento” que por muitas vezes não aparece. Se sentir dificuldade contrate pessoas, empresas que possam verdadeiramente lhe ajudar. Não dê ouvidos a palpiteiros, deixe os achismos de lado, não tenha medo de fazer o que deve ser feito. Não pense em quanto terá que investir, mas sim nos benefícios que terá com uma empresa enxuta, organizada, gerando caixa.

Provavelmente muitos após lerem este artigo já terão uma desculpa pronta para os argumentos aqui descritos. Mas, cuidado. É melhor ficar vermelho agora do que amarelo a vida toda.

Vamos trabalhar?   


Fonte: Artigos Administradores / Uma praga chamada desculpa

Os comentários estão fechados.