Vagas de TI – As empresas buscam um Semideus?

Vagas de TI – As empresas buscam um Semideus?

Como se comportar em um ambiente que exige tanto de um estudante que inicia seu primeiro estágio

Ser professor universitário antenado com o que acontece além dos muros da universidade tem me proporcionado questionamentos infindáveis tanto a respeito da formação que tenho dado aos meus alunos, quanto ao que o mercado de trabalho tem exigido dos profissionais que são recrutados.

Muitos dos meus alunos sempre me procuram, geralmente desesperados, quando vão se candidatar a uma vaga, sobre qual perfil as empresas buscam. Geralmente a descrição da vaga exige uma quantidade quase sem fim de competências e conhecimentos para uma vaga de… estágio!

Mas… o que fazer? Como se comportar em um ambiente que exige tanto? Por onde começar? O que estudar?

Bom, vamos por partes. Antes de mais nada precisamos entender como está o mercado de desenvolvimento no Brasil (e no mundo também, claro).

Supondo que eu tenha uma empresa de desenvolvimento Web e faça um portal para um determinado tipo de área do conhecimento: educação, por exemplo. Quero criar um site que disponibilize materiais didáticos para uma galera. Muito bem: para iniciarmos este site, dividimos o trabalho em duas grandes frentes, o Back-End (responsável por toda parte de integração e lógica do sistema) e o Front-End (para a parte de apresentação do site de forma responsiva e tudo mais).

Até aí ok. Supondo que a empresa é pequena, apenas eu, o administrador e mais uma equipe de dois desenvolvedores (justamente os candidatos à vaga neste momento). De início, divido um pouco as tarefas, competências e tecnologias dos pupilos que preciso contar nesta empreitada.

Aponto as necessidades que este sistema necessita para podermos implementar esta tão sonhada solução e alçarmos os desejados milhões de dólares.

Explorando o Back-End:

· Para o bancos de dados precisamos de um profissional que entenda de Modelagem de dados, Mapeamento Entidade-Relacionamento, Linguagem SQL e Administração de Bancos de Dados.

· Como sou um amante da linguagem Java, prefiro que meu sistema seja desenvolvido nessa linguagem. Dessa forma, busco um profissional que entenda sobre Linguagem Java, Enterprise Java Beans (para justamente ser um sistema robusto, que gerencie o ciclo de vida dos objetos), Hibernate (para não ter que escrever “quilômetros” de consultas e obter uma versão inicial em tempo hábil).

· Obviamente este sistema deve estar na Web. Portanto vou requerer do profissional conhecimentos de HTTP, Rest (e aí vem os frameworks para Web com a tecnologia Java, tais como Servlet, Jersey, Spring, entre outros). Além dos Design Patterns consagrados, como o MVC, por exemplo.

Agora, pensando no Front-End:

· Devemos desenvolver as páginas Web síncronas ou assíncronas. Para tanto, precisamos de HTML5, CSS3, Javascript e Ajax.

· Também vamos escrever códigos desnecessários. Dessa forma precisaríamos de alguns frameworks, tais como JQuery, JQueryUI, manipulação de XML, JSON

· E se algo responsivo for necessário? Que possa adaptar-se aos diversos dispositivos existentes (Tablets, Smartphones e também Desktops)? Não vamos usar algo como AngularJS ou BootStrap?

· Não nos integraremos com as redes sociais? Não teremos links com as API do Facebook, Twitter, Linkedin, FourSquare, Instagram ou as demais?

Como terei apenas dois desenvolvedores, certamente um tem mais foco em Back-End e outro em Front-End, certo? Nem sempre! Muitas vezes (e posso afirmar com bastante certeza que a maioria delas), ambos os desenvolvedores trabalham nas duas frentes de trabalho, cooperando e interagindo. E os códigos que desenvolvidos precisam ser compartilhados. Por isso, ambos precisam ter conhecimento de algum servidor de versões, como o GitHub.

É necessário que todos os futuros contratados sejam exímios especialistas em cada um dos tópicos que listei? Provavelmente não, mas também não aceito um candidato que, quando questionado sobre determinada ferramenta ou tecnologia, fique com aquela cara de cachorro que caiu do caminhão de mudanças. O futuro profissional precisa (e muito) conhecer conceitos. Entretanto ele tem a obrigação de acompanhar as evoluções das ferramentas e do que há de software livre (onde se encaixa a maior parte dos softwares que listei).

Portanto, quando eu lançar uma vaga solicitando um programador que tenha conhecimentos em Modelagem de Bancos de Dados, SQL, Java, EJB, Hibernate, REST, Spring, MVC, HTML5, CSS3, Javascript, AJAX, XML, JSON, BootStrap, AngularJS, JQuery e APIs de redes sociais, você vai pensar que eu também espero um semideus ou apenas um desenvolvedor que olhe além do próprio umbigo?

Professor Isidro Masseto é Doutor em Engenharia da Computação e Mestre em Ciência da Computação, Pesquisador nas áreas de Mobile, Games e Programação na Educação, idealizador do projeto #vamosprogramar


Fonte: Notícias Administradores / Vagas de TI – As empresas buscam um Semideus?

Os comentários estão fechados.