Vivemos em um mundo de abundâncias e não de escassez

Vivemos em um mundo de abundâncias e não de escassez

Ao contrário do que o senso comum e grande mídia nos mostram, vivemos em um mundo muito melhor do que viveram nossos antepassados anos e séculos atrás, assim como nos encaminhamos para um mundo ainda melhor do que o de hoje nas próximas décadas

Ao contrário do que o senso comum e grande mídia nos mostram, vivemos em um mundo muito melhor do que viveram nossos antepassados anos e séculos atrás, assim como nos encaminhamos para um mundo ainda melhor do que o de hoje nas próximas décadas.

Nosso cérebro tem um grande senso crítico de sobrevivência, o que a ciência já foi capaz de comprovar e a mídia de usar. Isso justifica o fato de que qualquer coisa que ameaça prejudicar nossa sobrevivência (o velho ditado que sangrar da audiência) vende. Notícia ruim vende porque ativa o sistema de proteção de nosso cérebro, diferente de notícias boas que não geram o mesmo efeito.

Mesmo com a grande quantidade de informações nos dias de hoje, tendemos a focar nossa atenção nas notícias negativas, que automaticamente moldam sua forma de pensar e enxergar o mundo, seu comportamento, suas atitudes, seu futuro, influenciando sua família, pessoas próximas e por ai vai, em uma bola de neve negativa.

Quando me dizem que é preciso ser “realista” para o mundo, logo penso que a própria palavra realista é relativa. Ser realista para o mundo nessa interpretação é ser realista, concordar e agir de acordo com parte (não a totalidade) das informações que são passadas e contaminadas pela grande mídia e automaticamente pelo senso comum, em grande parte o lado “negativo” que vende.

A outra parte “positiva” mesmo sendo maior, não está no foco de atuação de grande parte das pessoas, em função do que falamos acima. Quando você começa a fugir do senso comum, mídias e comentários “padrão” influenciado por noticias, apenas, você enxerga um “novo mundo”, pessoas, oportunidades, notícias, fatos que até então pareciam não existir.

Informações como essas, poucas vezes vimos:

– Nos últimos 20 anos, a tecnologia sem fio e a internet se tornaram acessíveis e disponíveis a quase todo o mundo.
– Telefones celulares crescem exponencialmente, hoje para mais de 70% da população.
– Telefone celular com internet, significa acesso de qualquer pessoa a mais informação do que um presidente tinha apenas 15 atras. Mais informação em todas as áreas significa ainda mais oportunidades e qualidade de vida a todos.
– Uma montanha de dinheiro vem sendo gasto, como nunca, por grandes empresarios filantropos para resolver grandes problemas de doenças, educação, eletricidade, agua, transporte, alimento e etc.
– Estatisticamente, o mundo nunca esteve tão seguro como hoje.
– Nunca vivemos por tantos anos como hoje.
– O risco de morte por várias das doenças comuns no passado, foram diminuídos drasticamente.
– A iluminação artificial em torno de 1300 era 20 mil vezes mais cara do que hoje.
– Por milhões de anos íamos até onde nossos pés conseguiam nos levar, depois onde os cavalos conseguiam, hoje com o avião além de se tornar possível o que muito era impossível, economizar tempo e aumenta a qualidade de vida.
– Mesmo ainda algumas das bilhões de pessoas que vivem na miséria e longe do patamar ideal, a grande maioria dessa parte, se comparada ao passado recente, mesmo com todos os pesares, vive uma vida melhor e mais longa do que seus ancestrais.
– O número de pessoas que vivem com menos de 1 dolar/dia caiu para menos da metade desde a década de 50 e hoje está abaixo de 18% da população mundial. Número que tende a diminuir exponencialmente nas próximas décadas.

Sem falar nas milhares de coisas que estão sendo construídas nesse momento, com o poder do empreendedorismo e tecnologia e gerarão impactos em todas as área.

Isso é só para mostrar que, de todos os pesares e problemas que ainda temos, NÓS seres humanos demos grandes passos nas últimas décadas e séculos, vivemos vidas mais longas, mais ricas, saudáveis e seguras. Mais acesso a informação, comunicação, direitos e por ai vai…

Otimista de mais?

Não se olhar a outra parte da laranja, aquele pedaço que a mídia e o senso comum não mostram, não fala, não agradece e não compreende, afinal , não são informações negativas.

Quando compreendemos e vivemos dessa forma, paramos de ter um comportamento e atitude de vítimas, reclamações, pensamentos negativos e entramos em sintonia com nosso cérebro que é possível sim progredir em todos os sentidos, de forma exponencial.


Fonte: Artigos Administradores / Vivemos em um mundo de abundâncias e não de escassez

Os comentários estão fechados.