Você pode muito mais do que imagina

Você pode muito mais do que imagina

Uma história com vários capítulos. Uma história de uma pessoa simples como você. Um alguém que se considerava um nada, e que hoje acredita no seu potencial. Conheça minha história contada em pequenos artigos disponibilizados semanalmente

Inicio hoje a minha história que desejo contar para você.

Sou filho de pais de classe média. Meus pais são comerciantes e sempre tiveram uma loja de roupas no interior de Minas Gerais. Desde pequeno vivia aquela história que todo comerciante sabe muito bem o que significa: trabalhar no dia 24 de Dezembro até às onze da noite.

O que desejo realmente começar a contar inicia-se aos 10-11 anos. Nessa época meu pai me pedia para fazer cobranças para a loja dele. Todo sábado, eu pegava minha bicicleta e saia pelas ruas de Curvelo, batendo de casa em casa, para cobrar dos clientes que estavam devendo.  Lembro muito bem que eu ganhava R$10,00 por mês para trabalhar todo sábado. Algo que me lembro muito bem dessa época era a minha vergonha de chegar até a porta do vizinho, bater campainha, e informar a ele que eu era cobrador e estava ali para representando a loja do meu pai. Lembro que era uma situação muito difícil, pois muitos se escondiam, as vezes procurava por alguém, e esse mesmo alguém, ao saber que se tratava de cobrança, dizia que o cliente não encontrava-se. Recebia xingamentos sem provocar ninguém, simplesmente pelo fato de fazer uma cobrança. Lembro que eu gostava de trabalhar, mas para cada casa que eu parava com minha bicicleta era uma apreensão diferente, pois não sabia o que poderia acontecer e como eu reagiaria a tal fato. Não que eu fosse agredir alguém verbalmente ou fisicamente, longe disso. Mas como a minha consciência iria reagir. O que eu iria pensar e como eu iria ficar após ter determinados pensamentos.

Apesar de gostar e não saber porque eu gostava daquele trabalho, os pensamentos que vinham a minha cabeça não eram nada bons. Sabia que as pessoas não queriam brigar diretamente comigo, e estavam nervosas pelo fato de alguém ir cobrar. 

Com o passar do tempo, acho que em vez de melhorar o meu rendimento no trabalho e a minha maneira de pensar, fui piorando e era pouco eficaz no trabalho de fazer cobrança. Com o passar do tempo, minha cabeça em vez de se elevar e mostrar confiante, minha cabeça se declinava, chegava cabisbaixo as casas e assim parecia que mais maltratado eu era. Até que chegou um tempo, e não resisti ao trabalho. Pedi para sair e deixei de ganhar meus dez reais, que na epoca era um dinheirinho que dava para muita coisa para um garoto de 11 anos.

O que seria desse jovem garoto?

Cabisbaixo, tímido e influenciado facilmente pelos outros…


Fonte: Artigos Administradores / Você pode muito mais do que imagina

Os comentários estão fechados.