Você valoriza sua equipe?

Você valoriza sua equipe?

A menor distância entre o que se diz e o que faz já é um indício de valor significativo organizacional

Por que ainda estamos falando e escrevendo sobre o valor do ser humano? São incontáveis as transformações realizadas por pessoas em suas vidas quando aproveitaram a ocasião no momento certo. Com o poder da decisão inerente ao ser humano, descobriram o quanto tinham guardado dentro de si, adormecido e inútil. Como aquele gestor que foi preciso ser demitido e adoecer para receber elogio da filha: Papai o senhor desempregado é muito mais legal. Palavras redentoras vieram após sua demissão e um acidente. A partir daí todos os que faziam parte de seu círculo de convivência foram contemplados pela sua transformação visível e humanizadora. Este executivo como poucos retornou ao seu convívio familiar e ao mundo dos negócios com uma visão cristalina sobre a vida pessoal e profissional e assumiu o propósito de defender e mostrar o quanto valem as pessoas para vida de seus negócios.

Em muitas empresas observo que na concepção de chefes e executivos ainda não caiu a ficha que todas as pessoas que trabalham ao seu lado, são seres humanos. A forma como são tratados e a maneira fria como são considerados seus problemas, não é possível compreender que as relações humanas estão compatíveis com nosso século. Se não em quantidade, mas em qualidade sim. Ainda assim acreditamos que as relações civilizadas prevalecerão em todas as esferas de convivência humana, porque conhecemos corporações que evoluíram demasiadamente nas trocas de conhecimentos e experiência a tal ponto de encantar os que as contemplam.

Preocupam-se com seu colaborador e sua família. Seus problemas, suas conquistas, suas dúvidas, suas incertezas e também caminham em suas esperanças, pois sabem que sua corporação será melhor se as pessoas conseguirem o melhor para suas vidas.

Dizia um certo médico ao seu paciente: percebo no dia-a-dia que meus pacientes cuidam melhor de seus carros do que a própria saúde. Constatei que essa preocupação exagerada com lucros, produtividade e competitividade em detrimento da pessoa humana faz parte também do comportamento de grandes empresas do cenário nacional e internacional. Essa inversão de valores compromete drasticamente a imagem e os resultados de qualquer empresa. Luiza Trajano recentemente assegurava que dois fatores despontam como uma tendência mundial para caracterizar a empresa vencedora: o atendimento e a inovação. Como percebemos o bom atendimento e a inovação são originários do ser humano que vive em condições dignas de suas aspirações. Aqui cabe bem mencionar o humor e as condições psicológicas positivas para o desenvolvimento das potencialidades de cada pessoa envolvida no trabalho. Tudo isso reclama pelo salário justo, por um clima acolhedor e valorativo, pelo respeito aos valores humanos para que todos em sua individualidade encontre sentido no que fazem.

É importante ressaltar que não é possível formar equipes de alta performance e comprometida com os objetivos organizacionais quando o nível de incerteza e desconfiança afeta os membros da equipe que formamos com alto custo. Gosto de dizer que os assuntos corporativos devem ser partilhados com todos, tal qual numa família. Se as informações são truncadas, a afetividade é afetada e as relações de confiança são enfraquecidas.

A época de líderes espertos com jeitinho brasileiro é coisa do passado. Em formação e gestão de equipes vencedoras a sinceridade é ponto crucial. Nada deve ser prometido além do que é possível cumprir. Nada deve cair no esquecimento. Esta atitude cria um vínculo de confiança tão forte e consistente capaz de resistir grandes adversidades.

Uma observação é extremamente importante para a alta direção das corporações e também para os responsáveis pela seleção e contratos. Os gestores com função de comando devem ser observados cuidadosamente em sua história de vida, e especial a familiar. A conduta e o caráter de cada um têm um peso na cultura e na imagem da companhia. Os infelizes e insatisfeitos com o que são, tem uma tendência a dificultar a vida de quem pretende progredir. Eles forjam um ambiente interno de competitividade tão acirrado ao ponto de prejudicarem a visão da competitividade externa dos negócios. Já os gestores resolvidos e felizes promovem um giro favorável de 360 graus.  

Penso que o Desenvolvimento Profissional e Pessoal deve inevitavelmente derivar da prática da Educação. Não creio que haja desenvolvimento sem a educação simultânea. Sem dúvida tem razão Malala Yousafzai quando disse: uma criança, um professor, um livro e uma caneta pode mudar o mundo. Em parte, sintetizou o caminho que leva à educação. Essa sentença transformadora deve servir às corporações que pretendem elevar o nível de seu conceito no universo dos negócios e quase não oferece uma chance de leitura de livros que ajudem a transformação de seu capital humano. Isto me impressiona muito, pois esse simples gesto bem conduzido é capaz de transformar gerações e o mundo que elas habitam.

Se os bons livros ou a boa leitura de forma geral é um pouco do sentido da experiência de vida e das competências aprendidas ao longo do tempo de quem escreveu, concluímos que dispensar esse material existencial é perder a oportunidade de crescer como empresa e como ser humano. Os cursos, as consultorias e os treinamentos sem o auxílio da leitura contínua se diluirão ao longo do tempo.

A facilidade e a rapidez que o mundo moderno nos proporciona tantos conhecimentos proveitosos, não cabe desculpa para quem quer justificar sua falta de apoio, ou seu despreparo. As companhias são responsáveis pelo nível e pelo desnível de seu material humano. Permitir que as pessoas cresçam e se desenvolvam é uma das mais valiosas atitudes das corporações e a maneira infalível de valorizar as pessoas. Ainda que os salários não sejam suficientemente dignos haverá sentido no trabalho de cada funcionário.

Há uma ferramenta ultrapoderosa presente em toda empresa, seja pequena, média ou grande. A web. Tão útil e tão mal aproveitada e mal direcionada. Como não ter prejuízo com tanto descuido. A internet quando bem usada é mais que uma ferramenta, é um instrumento vivo de transformação de vidas humanas. Basta lançarmos mãos de alguns sites e a pedagogia da descoberta do tesouro escondido para alcançarmos horizontes nunca imaginados. Aplica-se aqui o mesmo princípio que aleijadinho usava para tirar a pessoa escondida na pedra bruta. Mostre e fale da imensidão do tesouro escondido e de cada site construtivo. O tesouro é simbolizado em cada mensagem, cada frase e em cada palavra, aguardando ansiosamente quem as descubra.


Fonte: Artigos Administradores / Você valoriza sua equipe?

Os comentários estão fechados.